quarta-feira, 12 de março de 2014

Com os olhos na Sanábria

Tan lonxe e veciña de nós

Enquanto no planalto de Travancas a bela paisagem proporcionada pelas nevadas teve curta duração, na Sanábria, de onde sopra um vento frio - o Vento Norte - a neve continuou a pintar de branco os cumes mais altos.


Numa tarde solarenga subi às Poulinhas, em Argemil, para fotografar os montes da Sanábria mas descobri que a perspectiva não era a melhor.  Em contrapartida, ao descer, regalei-me com a visão edénica do rebanho de ovelhas a apascentar no lameiro.



Depois de tirar estas fotos, não resisti a ir ao encontro da neve. No dia seguinte fui de carro a Padornelo, a 60 km de Travancas. A típica e despovoada aldeia entre As Portelas, com clima de montanha, fica encravada nas serras de Gamoneda e Segundera, a 1360 metros de altitude. Lá, garantiu-me o dono do café, a camada de neve chegou a ter mais de 60 cm de espessura!


A Portela de Padornelo, embora seja de cultura linguística galaico-portuguesa, como toda a região da Alta Sanábria, no século XIX foi separada  da Galiza e anexada à província de Zamora, de língua castelhana e com a qual não tinha afinidades económicas e culturais. Os habitantes de Lubian, município em que Padornelo se integra, contudo, ainda persistem em falar a sua língua tradicional, o galego.


Em primeiro plano, em terras portuguesas, vê-se São Vicente da Raia. Do lado de lá ficam as serras galaico-leonesas, onde nasce o Tuela, río de augas frías, afamado pela pesca à truta, tal como o seu afluente, o Rio Mente, em Segirei.


A Sanábria é já ali! E os galaicos, seus coevos habitantes, son os nosos veciños e irmáns de fala!


A partir de São Cornélio já não se vê a Sanábria, tapada pela Serra de Mairos. Contudo, vê-se a Manzaeda - Manzaneda em castelhano -  montanha com pistas de esqui. Estendendo o olhar para Oeste e para Sul, avista-se o mar de serras portuguesas, de que sobressaem, pela brancura dos cumes, a Serra do Larouco e, por detrás desta, a Serra do Gerês. 



Ó, como é bom estar entranhado nas serras e sentir-me montanhês! Teño morriña cando me faltan estes aires!


3 comentários:

Anónimo disse...

Olá como vai ? Estas fotos estão espetaculares ! Abraço . Paulo F.

euroluso disse...

Olá, Paulo!

Agora já não há neve!
Temos de combinar encontrar-nos, para irmos a Padornelo! Acho que iria gostar!

Anónimo disse...

"Boas ! Bem... se por agora não há neve por lá ( Padornelo)seria para ver, concerteza, as deslumbrantes vistas"
Abraço. Paulo